Exibidor

Esqueci a senha

Publicidade

Artigo / Artigo

11 Agosto 2017

PLF, levando você para dentro do conteúdo

O Premium Large Format (PLF) oferece uma experiência imersiva nas telas gigantes, com som e imagem muito acima do usual

Compartilhar

A proliferação de plataformas de exibição nos mais diversos formatos, pressiona os exibidores na busca por diferenciais que ofereçam experiências impactantes aos cinéfilos, que não se contentam mais com o convencional numa sala de cinema.

O Premium Large Format (PLF) oferece uma experiência imersiva nas telas gigantes, com som e imagem muito acima do usual. Destaco a IMAX, que sempre foi a principal referência neste tipo de sala.

Os grandes exibidores estão apostando nas telas grandes, em 2016 continuou o aumento das salas PLF. O número de telas PLF em todo o mundo aumentou mais de 15%, esse acréscimo decorre do contínuo investimento dos exibidores nesse formato, em um cenário mais competitivo entre empresas como Dolby, Barco, Christie e RealD, brigando por uma fatia de um mercado dominado pela IMAX.

A IMAX é a pioneira em tela gigante, mas a tendência nos últimos anos é a de circuitos de cinema se estabelecendo e promovendo suas próprias marcas PLF, tais como XD Cinemark, AMC e Wanda com Dolby Cinema, Macro XE Cinépolis e Cinemex Premium, entre outras.

O ‘calcanhar de Aquiles’ da IMAX é sua imposição de programação, pois não dá ao exibidor a possibilidade de manter ou retirar a exibição de um conteúdo, conforme sua conveniência. Esta é uma das razões das grandes redes buscarem seu próprio conceito em PLF.

O total dessas telas é superior a 2.000 no mundo todo. A América Latina possui 100 telas PLF, com o Brasil no segundo lugar por exibidor PLF na AL.

A IMAX é líder de mercado com mais de 40% da base mundial lançou seu laser comercial no final de 2015, incorporando a tecnologia da Barco.

Outra plataforma com tecnologia laser é o Dolby Cinema (em conjunto com a Christie). A Dolby acelerou seu acordo com a AMC para atender a 100 telas até o final de 2017 e lançou o primeiro Cinema Dolby na China, parte de um acordo de 100 telas com a Wanda. Enquanto a RealD Luxe teve uma aceitação mais lenta e ganhou alguma popularidade na China e no Leste Europeu.

A questão não é se o PLF é ou não uma tendência, pois representa apenas 1,5% das telas instaladas, mas sim um importante movimento para destacar que a experiência de assistir um filme numa tela de cinema não pode ser comparada com uma TV, tablet ou smartphone.

Uma sala PLF representa o ápice do cinema e faz com que os cinéfilos reafirmem sua fidelidade à telona, em defesa ao avanço das demais plataformas sobre o conteúdo de Hollywood.

Para conteúdos direcionados às telas PLF, valerá a pena pagar mais para desfrutar dessa experiência, mas, para a maioria dos filmes, desde que seja apresentado numa sala de cinema moderna, isso já será o suficiente para uma agradável experiência em assistir um bom filme, sem pagar um adicional para tanto.

A tecnologia sozinha não resolverá a evasão de audiência das salas e, sem a integração de esforços entre fabricantes, estúdios, distribuidores, exibidores, além de um marketing profissional, nada disso faz sentido. Pois é fundamental que o cinéfilo seja convencido a testar uma experiência muito além da tradicional.

Publicidade fechar X

Luiz Fernando Morau
Luiz Fernando Morau | lfmorau.com

Profissional com mais de vinte e cinco anos de atuação nas áreas de entretenimento, broadcast e serviços corporativos, com atuação direta em ações de desenvolvimento e estruturação de negócios no Brasil e exterior, startups e fusões. Vivência efetiva como Executivo e Consultor, com destaque para os projetos da MasterImage 3D Inc, Quanta, Telem, Universal Networks, TVA, TV Brasília e TV Goiânia. Empresas onde exerceu efetiva gestão nas definições estratégicas e desenvolvimento dos negócios.

Compartilhar