Exibidor

Esqueci a senha

Publicidade

Notícias /mercado / Brasil

02 Junho 2016 | Vanessa Vieira

Minas Gerais Audiovisual Expo apresenta nova abordagem do governo para o setor

Primeira edição do evento reúne mais de mil credenciados e aborda temas como a promoção internacional do cinema brasileiro

Compartilhar
Painel Mercado Internacional com representantes da ANCINE, CdB, FilmBrazil e ABIPTV (Foto: Portal Exibidor)

A primeira edição da Minas Gerais Audiovisual Expo – MAX, realizada na Serraria Souza Pinto, espaço da cidade de Belo Horizonte (MG), começou na quarta (01) e segue até domingo (05). O encontro teve mil credenciados online e pode ter ainda mais até o término de sua programação, que tem como objetivo ser um espaço para o debate do audiovisual, bem como uma oportunidade para a comercialização de conteúdos do setor e para a promoção de Minas Gerais como ambiente para desenvolvimento do audiovisual seja por meio de parcerias entre produtoras ou como locação de filmagens.

Publicidade fechar X

O evento tem uma programação variada que reúne seminários e painéis até as chamadas “rodadas de negócios”, encontros nos quais 31 empresas distribuidoras de conteúdo do mercado nacional, selecionadas em curadoria da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão – ABPITV, poderão conhecer 209 projetos selecionados entre os 310 inscritos. Ao todo 130 produtoras participarão das “rodadas” e entre elas há, claro, uma forte presença mineira.

“Nós percebemos o crescimento do mercado audiovisual em Minas Gerais. As produtoras estão começando a fazer muito mais projetos não só para publicidade, mas também para TV e cinema. Então é importante que os players e distribuidoras venham nos conhecer e que nós possamos mostrar nosso trabalho”, afirmou Rafael de la Savia, gerente de produção da Março Produções. Segundo o profissional, a empresa participa da MAX com três projetos que serão apresentados nas rodadas de negócios.

Também fazem parte da programação a mostra “Imagem em Construção” e a exposição “História do Audiovisual”, esta última instalada em local diferente do restante das atrações, no Museu de Artes e Ofícios. A exposição está prevista para continuar aberta até 31 de julho.

O evento é uma iniciativa do Governo do Estado de Minas Gerais, que atua por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais – Codemig, em parceria com o Sebrae Minas, a Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais e o Sistema Fiemg/Sesi.

Foco político no audiovisual

Liderada pelo Sebrae Minas, a ideia da MAX foi trabalhada durante cerca de um ano segundo Manoel Branco, analista técnico do núcleo de economia criativa do Sebrae. Branco falou ao Portal Exibidor sobre o processo de criação do evento e o foco no setor dentre tantos que fazem parte da chamada Economia Criativa. “Decidimos priorizar o audiovisual devido à concentração de produtoras no Estado e especificamente na região metropolitana de Belo Horizonte, onde fizemos uma pesquisa em 2014 na região metropolitana e já tínhamos 190 produtoras”, explicou. O executivo também afirmou que a realização do encontro só foi possível devido ao apoio do governo estadual mineiro, que anunciou mudanças em sua política voltada ao setor audiovisual.

Um dia antes do início da MAX, por exemplo, o Governo do Estado de Minas Gerais lançou o Programa de Desenvolvimento do Audiovisual Mineiro – Prodam, que deve ajudar políticas públicas a se viabilizar por meio de parcerias com outros órgãos públicos e privados. O anúncio oficial, no entanto, foi considerado como parte da abertura do evento em Belo Horizonte e realizado no Museu de Artes e Ofícios da cidade, onde o governador Fernando Pimentel assinou o protocolo de intenção entre Codemig e PucMinas para revitalização e modernização da antiga edificação do Sistema Salesiano de Vídeocomunicação – SSV.

O Prodam já conta com R$ 23,5 milhões que serão destinados a diferentes editais voltados para roteiros, produção e finalização de longas-metragens para cinema, bem como de séries televisivas. Além desses editais, 37 projetos de séries e obras não seriadas terão seu pré-licenciamento garantido por meio do programa.

O governo estadual já tinha, em maio deste ano, retomado o edital da Lei Estadual de Incentivo à Cultura – LEIC com investimento total de R$ 15 milhões e uma nova estrutura para evitar o rápido esgotamento dos recursos e, assim, ampliar o acesso ao benefício ao reduzir a concentração de aporte em poucos projetos. A nova LEIC abrirá inscrições em 24 de junho.

Do Brasil para o mundo

O mercado internacional de cinema fez parte do primeiro dia da MAX por meio da presença da Índia em palestra sobre coprodução entre o país e o Brasil, que abordou as possibilidades de parcerias entre os territórios que já têm um acordo de coprodução assinado. Já o painel “Mercado Internacional – Conteúdo Brasileiro” deu foco às iniciativas de quatro entidades nacionais para promover a produção do Brasil no exterior. 

Participaram da mesa-redonda Ana Júlia Cabral, coordenadora de programas internacionais de cooperação e intercâmbio da ANCINE; Ana Letícia Fialho, gerente executiva do Programa Cinema do Brasil – CdB; Marianna Souza, gerente executiva da FilmBrazil, que faz parte da Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais – APRO; e Mary Morita, coordenadora internacional da Brazilian TV Producers, braço da ABPITV.

Enquanto Ana Júlia apresentou os acordos de coprodução internacional já assinados ou em negociação como meio de produtoras nacionais chegarem ao mercado exterior, Ana Letícia destacou a mudança da internacionalização da produção brasileira nos últimos dez anos. A executiva também comemorou a primeira década de atividades do CdB.

Já Mariana, da FilmBrazil, falou sobre o peso do setor de produção publicitária que, só em 2013, movimentou R$ 1,1 bilhão. Mary, por sua vez, finalizou a rodada de apresentações apontando a aposta da Brazilian TV Producers em coproduções internacionais como meio de tornar as empresas brasileiras que produzem conteúdos para televisão e mídia online se tornem conhecidas no mercado global.

O Portal Exibidor está no evento, que ainda trará atrações como um painel sobre a estratégia de mercado do Circuito Spcine.

Confira um vídeo da abertura da MAX, que também pode ser acompanhada ao vivo por meio de seu site oficial:

Veja a cobertura completa:

Crowdfundig e poder de Big Data para o mercado

Entrevista com Manoel Branco, do Sebrae-MG

Mapeamento do Mercado e Film Commissions

Cinema infantil e realidade virtual 

- Incentivo da ANCINE ao audiovisual mineiro

Com 12 salas, Circuito Spcine recebeu quase 25 mil espectadores em dois meses

Evento em Minas Gerais recebe lançamento nacional do Cine Virtual

Galeria de fotos

Compartilhar