Exibidor

Publicidade

Notícias /mercado / Finanças

14 Fevereiro 2020 | Renata Vomero

D-Box divulga balanço de seu terceiro trimestre fiscal

Segmento de simulação e treinamento cresceu 3% com relação ao ano anterior

Compartilhe:

(Foto: Divulgação)

A D-Box divulgou os resultados financeiros de terceiro trimestre fiscal de 2019, que representa o período de outubro e dezembro do ano passado. Com algumas dificuldades do mercado, as receitas foram de US$5,5 milhões, comparado a US$8,3 milhões do mesmo período do ano passado.

Publicidade fechar X

Em termos de receitas recorrentes, a queda foi um pouco menor, indo de US$2,1 milhões para US$1,8 milhão. Já a receita de simulação e treinamento cresceu 3%, chegando a US$2,1 milhões. A taxa de EBITDA ajustada (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de US$ 500 mil para US$ 300 mil. Já o prejuízo líquido foi de US$ 1,6 milhão, diferente de US$ 200 mil do mesmo período do ano passado.

Com os números, o CEO e presidente da D-BOX, Mr. Claude Mc Master, confirma as quedas nas receitas, justificando ser por uma dificuldade geral do mercado, no entanto, se mantém otimista para os próximos meses. “Atualmente, a D-Box está enfrentando um ano fiscal difícil nos mercados de entretenimento, de cinema e comercial. Durante o trimestre e os primeiros nove meses de 2019, as vendas diminuíram como resultado de uma desaceleração das atividades de certos parceiros que enfrentam desafios internos e de mercado. No entanto, estamos cautelosamente otimistas de que a tendência é temporária e que as vendas aumentarão nos próximos trimestres. Na recente feira da Associação Internacional de Parques de Diversão e Atrações (IAAPA), vários parceiros lançaram novos produtos promissores que atraíram muita atenção. Além disso, o segmento de simulação e treinamento está mostrando força contínua impulsionada por um ROI atraente e melhoria de desempenho com base em sugestões de movimentos”, explicou o executivo.

A companhia também divulgou os resultados dos primeiros nove meses do ano fiscal da D-Box. As receitas foram de US$19,3 milhões, comparado aos US$25,9 milhões de 2018. As receitas recorrentes também tiveram uma queda mais baixa, sendo de US$6,1 milhões em 2019 e US$6,8 milhões em 2018.

A receita de simulação e treinamento também cresceu no período de nove meses do ano fiscal, cerca de 10%. O segmentou apresentou arrecadação de US$6,1 milhões. A taxa de EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustada foi de US$0,6 milhão e em 2018, foi de US$1,8 milhão. O prejuízo líquido do período foi de US$3,1 milhões.

“O objetivo da gerência é avançar na execução de parcerias estratégicas e mudar os negócios para um crescimento lucrativo. Além disso, durante o trimestre, a D-Box tem focado na redução de seus custos corporativos”, finalizou o executivo.

A companhia anunciou recentemente a aposentadoria de Claude Mc Master, que está passando o comando da D-Box para David Montpetit, que assumirá o posto a partir de 1 de abril. O atual CEO e presidente continuará entre os conselheiros da D-Box.

Compartilhe:

  • 0 medalha